terça-feira, maio 27, 2008

Bustos




Busto do Prof. José Hermano Saraiva
Busto do Pintor Reis Teixeira
Busto do Escultor Aureliano Lima
Busto do Escultor Henrique Moreira
Busto do Escultor Manuel Pereira da Silva
Busto do Dr. Adelino Gomes
Busto do Padre Missionário José Araújo
Busto do Padre Luís
Busto do Pai
Busto do Sogro
Busto da Neta

terça-feira, maio 20, 2008

Frescos da Capela-Mor da Igreja de Stª Luzia

O templo do Sagrado Coração de Jesus (Templo de Santa Luzia) edificado na montanha de Santa Luzia, em Viana do Castelo, embora o projecto date de 1898, a obra só foi iniciada nos primeiros anos do século XX, tendo sido o templo aberto ao culto em 22 de Agosto de 1926, já depois da morte do seu autor, sendo apenas concluído em 1943.
Alguns pormenores do seu interior:


Pintura da Via Sacra


Em 1956 Manuel Pereira da Silva recebe uma encomenda da Confraria da Igreja de Santa Luzia, em Viana do Castelo.


Pintura da Via Sacra


“A Capela-mor em círculo e a cúpula esférica foram povoadas de figuras ligadas à Paixão de Cristo, sendo o friso da base segmentado em quadros alusivos ao drama da Paixão, num colorido suave e de linhas modernas que se identificavam plenamente com o dramatismo comovente da tragédia do calvário, sendo a cúpula, mais de carácter espiritual, preenchida com a figura de Cristo em ascensão gloriosa, rodeado de anjos que empunham flautas, numa concepção perfeita e de rara espiritualidade.”


Pintura da Via Sacra

“Graças à força da comunicação social, o ainda jovem Manuel Pereira da Silva passou a colher os primeiros frutos da fama e de ter daí em diante um vasto auditório, face aos milhares de fiéis que durante o ano sobem ao alto do monte de Santa Luzia."


Pintura da Via Sacra


In Joaquim Costa Gomes – Três Escultores de Valia: António Fernandes de Sá, Henrique Moreira e Manuel Pereira da Silva. Ed. Confraria da Broa de Avintes.


terça-feira, maio 06, 2008

Satisfação

Atiro o pensamento
em toda a espécie de cores,
aguardo em silêncio
a resposta que me falta.

Todos os ecos que me chegam,
meus e dos outros,
que pensamentos lançaram
repetem-se,
não dizem quem sou,
nem porque estou
e para que estou.

Só sei que estou
o eco só diz quem não sou.
contemplo os ecos que chegam
dos pensamentos lançados
e, não fico sossegado,
mas não fico agitado.

Umas vezes com cores frias,
outras de cores quentes
disso fico animado.

É nessa animação
que fico à espera do eco,
que me daria satisfação
por todos procurado,
atiro o pensamento
em toda a espécie de cores.

Manuel Pereira da Silva

quinta-feira, maio 01, 2008

Palavrariuuummm!

Daqui te vejo
daqui te penso
daqui estás em mim,
e disso me comovo,
é assim!!!...

Imagens por palavras
daqui as fabrico
neste jogo solto
delas me sirvo.

Jogo de sentimentos
alegre,
divertido,
não só em festas…
Faz sentido.

Com elas me movo
e disso estou,
com elas brinco
em quanto sou.

Manuel Pereira da Silva